Clima e TempoSolo

Dia Nacional da Conservação do Solo

Vamos agradecer ao solo que nos alimenta

O tema ciência e conservação do solo pode parecer pouco atraente quando comparado a outros das ciências agrárias, empreendedorismo e inovações. É super moderno e “cool” falarmos sobre as futuras startups “unicórnios” e talvez seja mais “sexy” falar sobre os investimentos nas agtechs pelo mundo ou mesmo sobre fusões das gigantes do agro. Mas uma coisa é certa, tudo isso só é possível porque o solo existe.

Mãos segurando muda de planta

Definição

Para começo de conversa, chama-se solo:

so·lo |ó| 1

(latim solum, -i)

substantivo masculino

  1. Porção de superfície terrestre. = CHÃO, TERRA
  2. Revestimento sobre o qual se anda. = CHÃO, PAVIMENTO
  3. Parte superficial da terra que se pode cultivar ou onde podem crescer plantas.
  4. Terreno.

Uso do solo

Pois é, o solo onde pisamos, construímos casas, plantamos nosso alimento, entre tantas outras funções é, sem dúvida,  fundamental em nossas vidas. Sem ele não existiríamos. Muitas civilizações antigas surgiram e puderam se fortalecer por causa do tipo do solo, assim como outras sucumbiram por causa da erosão dele.

Podemos analisar brevemente o Egito antigo, onde sua civilização se fixou em terras férteis próximas ao rio Nilo e, adequando princípios da agricultura, foi se adaptando ao longo do tempo.

Em um caminho diferente temos a hipótese do declínio da civilização Maia; que provavelmente se extinguiu por três principais motivos: aumento do desmatamento para abertura de áreas agrícolas, diminuição da pluviosidade e o mau uso do solo levando à falta de alimentos para abastecer a população (link sobre).

Existe aquele famoso ditado: “se você se alimenta, também está envolvido na agricultura”, sendo assim você é totalmente conectado ao solo.

Mundo

Solo degradado pela seca

A beleza por trás do solo e a sua conservação vem chamando atenção de grandes nações, renomadas instituições e personalidades de destaque. O Bill Gates publicou recentemente no Linkedin sobre a importância da conservação do solo e sua relação com o aquecimento global, uma vez que ele está investindo em pesquisas na área.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) alertou em estudo recente que cerca de 33% do solo mundial está degradados ou se deteriorando em ritmo alarmante.

Brasil

No Brasil o prejuízo anual chega a U$ 242 milhões em perdas de nutrientes através da erosão do solo, só no estado do Paraná, segundo a Embrapa. A temática é complicada pois o solo é complexo, no entanto dependemos dele. Com isso o nosso dever de entendê-lo e preservá-lo aumenta cada vez mais.

O solo é vivo, contém macro e microrganismos que auxiliam no fornecimento de nutrientes às plantas e a outros seres vivos nele presentes. Para o nosso próprio bem estar é essencial preservarmos o solo vivo e saudável.

A matéria orgânica do solo (MOS) também é muito importante para a produção agrícola, podendo influenciar nas recomendações de adubação e consequentemente no retorno de investimento.

Ter um solo saudável significa maior rentabilidade a curto e longo prazo, menos gasto e um futuro mais seguro. Dependendo da quantidade de matéria orgânica do solo é possível economizar mais de 50% do gastos com adubo nitrogenado, segundo dados disponibilizados pela Esalq.

Dust Bowl

O solo, sendo vivo, também pode morrer. Um exemplo trágico foi o “Dust Bowl” nas Planícies Altas dos Estados Unidos, quando uma forte erosão eólica causou enormes tempestades de areia, por causa  da seca e o mau uso do solo. O seu uso irracional para agricultura, acaba por exaurir todos os nutrientes e foi isso que causou essa tragédia ambiental, social e econômica nos anos 30, perdurando quase dez anos.

Resultados da Dust Bowl
Resultados da Dust Bowl

O “Dust Bowl” dizimou muitas famílias e deixou um aprendizado àquela nação: preservar o solo. Após esse acontecimento, temáticas sobre conservação do solo aumentaram e o próprio governo incentivou o programa de mapeamento dos solos e boas práticas de manejo. O plantio direto foi adotado como um dos principais métodos de manejo e a partir de então máquinas e implementos foram se adaptando para o uso mais sustentável do solo.

Tempestade de Areia em Stratford, Texas, 1935
Tempestade de Areia em Stratford, Texas, 1935

A imagem acima é da coleção da National Weather Service.

Diversas nações também sofreram desastres ambientais parecidos e se desenvolveram na agricultura compreendendo a importância da conservação do solo e o seu manejo inteligente. Com o acesso à informação e tecnologias as pessoas estão cada vez mais pensando e discutindo essa temática, tornando essa ciência muito mais interessante.

Conservação do solo

Existem muitas pessoas trabalhando em prol da conservação do solo em escala mundial, diversas empresas de investimento e agtechs estão focadas nesse tema. Apesar dos números não satisfatórios de conservação do solo, é animador olhar a crescente discussão sobre o tema. Grande parte dos agricultores também estão desempenhando um papel fundamental ao buscar proteger esse bem precioso.

No dia Nacional da Conservação do Solo vamos fomentar mais as ações e discussões sobre o tema, gerar curiosidade e pesquisa sobre o assunto. Pensar no que cada um pode contribuir para a conservação do solo no país e no mundo, ou pelo menos agradecer por nossas refeições que, graças aos solos, podem nos alimentar.

Mudanças climáticas

As mudanças climáticas afetam grandemente o uso do solo, para entender melhor como elas afetam a agricultura confira:

O Impacto das Mudanças Climáticas na Agricultura

Autor:
Marcus Sato, engenheiro agrônomo da Agrosmart.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo