Irrigação

Principais tipos de irrigação: Vantagens e Desvantagens

A irrigação é uma técnica que tem como objetivo suprir as necessidades hídricas de uma área plantada em decorrência à baixa disponibilidade hídrica ou a má distribuição das chuvas. Os principais tipos de irrigação utilizados atualmente são a superficial, a localizada e a aspersão.

Irrigação superficial

Neste tipo a água é conduzida para o ponto de infiltração diretamente pela superfície do solo. Os sistemas de irrigação mais comuns para esse tipo são as irrigações por inundações e as irrigações por sulcos. Esse tipo de irrigação é bastante utilizado no sul do Brasil e na produção de arroz.

superficie
Irrigação por inundação.

Vantagens:

  • Baixo custo de implantação, energia e manutenção;
  • Favorece o aumento da fotossíntese nas folhas mais baixas, devido ao reflexo da luz na água;
  • O vento não limita a irrigação;
  • Promove a fixação do nitrogênio atmosférico, em decorrência ao favorecimento do crescimento de algas verde-azuis.

Desvantagens:

  • Água parada pode prejudicar as plantas, principalmente pela diminuição da respiração das raízes;
  • Bastante dependente da declividade do solo;
  • Erosões frequentes nos sulcos;
  • Ocorrem perdas de água por percolação.

Irrigação localizada

Neste tipo a água é aplicada na área ocupada pelas raízes das plantas, formando um círculo molhado ou faixa úmida. Essa técnica é muito utilizada nos dias atuais, sendo muito aplicada na produção de frutíferas. Os dois sistemas básicos na irrigação localizada são a microaspersão e o gotejamento.

gotejo
Irrigação por gotejamento.

Vantagens:

  • Baixo custo de mão-de-obra e de energia;
  • Elevada eficiência de aplicação, como a água é aplicada diretamente na raiz, ocorrem poucas perdas por evaporação;
  • Facilidade e eficiência na aplicação de fertilizantes, com a fertirrigação;
  • Grande adaptação aos diferentes tipos de solo;
  • Mantém o solo uniformemente úmido e com oxigênio.
  • O vento e a declividade do terreno não limitam a irrigação;

Desvantagens:

  • Alto custo inicial, devido à grande quantidade de tubulações;
  • Bastante sensível ao entupimento dos orifícios de saída de água;
  • Diminuição da profundidade das raízes, devido à constante disponibilidade de água, isso pode diminuir a estabilidade da planta.

Irrigação por aspersão

Esse tipo simula uma chuva artificial onde um aspersor expele água para o ar, que por resistência aerodinâmica se transformam em pequenas gotículas de água que caem sobre o solo e plantas. Seus principais sistemas são a convencional, o pivô-central e o auto-propelido.

irrigação por pivô
Pivôs.

Vantagens:

  • Baixo custo de mão-de-obra;
  • Elevada eficiência de aplicação;
  • Facilidade e eficiência na aplicação de fertilizantes, com a fertirrigação;
  • Melhor controle da lâmina de irrigação;

Desvantagens:

  • Aumenta o desenvolvimento de doenças, devido as folhagens úmidas;
  • Elevados custos iniciais, de energia e de manutenção;
  • Limitada pelo vento e pela declividade do terreno;
  • Pode causar danos ao solo, devido ao escoamento de água nas proximidades.

Qual sistema de irrigação devo escolher?

A escolha do sistema mais adequado para a sua fazenda deve considerar o tipo de solo, o relevo, a disponibilidade de água, o clima, a cultura e o manejo de irrigação. Portanto, antes de instalar o sistema em sua fazenda é importante que você consulte um engenheiro agrônomo para lhe orientar na melhor decisão.

Receba um E-book completo sobre sistemas de irrigação, cuidados, manejo e com Dicas que fazem a diferença.

Gestão do sistema agrícola

Como visto no post “3 formas de reduzir seus custos de irrigação“, em qualquer tipo de sistema de irrigação ocorrem desperdícios de água, de dinheiro e perda de produtividade; se deixados sem gerenciamento e sem um manejo de irrigação ideal. Isso ocorre até mesmo com os sistemas mais eficientes e melhores projetados. Além disso, é importante conhecer bem a disponibilidade hídrica em sua região.

Hoje em dia já existem sistemas que tornam a irrigação mais inteligente. Esses sistemas são conectados à internet e utilizam sensores que fazem o monitoramento da lavoura, de forma automática.

Cultivo Inteligente

Com o objetivo de melhorar a produtividade e otimizar o uso dos recursos na agricultura a Agrosmart criou um modo de cultivo inteligente, conectando o agricultor a sua plantação. Assim ao monitorar mais de 10 variáveis ambientais,  utilizando sensores no campo, processamento de imagens de satélite, previsão de tempo e computação em nuvem, monitoramos plantações em tempo real para ajudar o produtor a entender as necessidades reais da planta em cada momento do seu desenvolvimento, e assim ajudar a tomar decisões mais precisas.

Como consequência, ao utilizar a Agrosmart, é possível economizar até 60% de água, energia e aumentar a produtividade ao mesmo tempo.

O sistema utiliza sensores de leitura automática, que eliminam a necessidade de ir a campo coletar dados e permite visualizar o comportamento da água no solo em diferentes profundidades das raízes.

Sensores de solo como alternativa de tensiômetros
Sensores de solo

Além disso, o sistema utiliza pluviômetros digitais que monitoram, de forma automática, a chuva em cada talhão. Desta forma, o produtor recebe diariamente recomendações precisas de quando e quanto irrigar.

Para tornar seu manejo da irrigação mais inteligente, irrigar com confiança e evitar desperdícios, Clique AQUI e conheça os Serviços Agrosmart de Irrigação com Precisão.

Fontes: Agência EMBRAPA de Informação Tecnológica; Instituto Agronômico do Pernambuco; UNESP de Ilha Solteira.
 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo