Fruticultura Irrigada: tudo o que você precisa saber a respeito!

A fruticultura irrigada tem um grande potencial de produção e produção com qualidade! Porém, não basta irrigar, é preciso fazer o uso racional da água. Saiba mais sobre esse tema a seguir.

Realizar um manejo eficiente da irrigação na fruticultura nunca foi tão importante quanto no momento atual, marcado pelo aumento da demanda de alimentos e por sustentabilidade.

Essencial para o desenvolvimento de qualquer cultura agrícola, a água é um bem universal e, por isso, é preciso usá-la de forma racional para que se evitem desperdícios.

Assim, é essencial fazer o monitoramento constante sobre o uso da água na lavoura, a partir de técnicas inovadoras, aliadas às tecnologias de irrigação de precisão.

Desta forma, é possível a planta receber a quantidade de água necessária para render todo o seu potencial produtivo. Saiba como isso é possível neste artigo. Boa leitura!

A fruticultura brasileira e a produção irrigada 

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas, com mais de 40 milhões de toneladas por ano – China (265 milhões de toneladas) e Índia (93 milhões de toneladas) lideram.

A maior parte da produção fica no mercado interno. Porém, só no 1º semestre deste ano, por exemplo, foram as exportações somaram 515,6 mil toneladas.

Esses dados fazem com que o Brasil seja o 23º no ranking mundial de exportações de frutas, que deve render  mais de US$ 1 bilhão em faturamento em 2021.  

Além disso, os destaques da exportação são a uva, a manga, o melão, o mamão, a maçã, as bananas, os limões e as limas, além das melancias e dos abacates.

O Nordeste concentra 52% das áreas cultivadas com fruticultura no Brasil e o Sudeste 26%, com destaque para a produção de citros.

Exportação De Frutas No Brasil Segue Aumentando Em 2021
Exportação de frutas no Brasil segue aumentando (Reprodução: Abrafrutas

As exportações de frutas no 1º semestre de 2021 tiveram aumento de 29% em relação ao mesmo período de 2020, devido a três fatores:

  • Câmbio favorável, com alta do dólar;
  • Busca por alimentos mais saudáveis, sobretudo frutas, durante a pandemia;
  • Maior produtividade nas áreas irrigadas e uso de tecnologias.  

De acordo com a ANA (Agência Nacional de Águas), o Brasil possui 8,2 milhões de hectares com sistemas de irrigação, sendo 5,3 milhões de hectares com água de mananciais e 2,9 milhões de hectares com fertirrigação com água de reúso.

No país, os pólos de fruticultura irrigada de maior destaque são as do Vale do São Francisco, entre Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), e no Ceará e Rio Grande do Norte. 

Outros também possuem grande destaque, como o pólo citrícola de São Paulo e o de produção de mamão no Espírito Santo.

Fruticultura irrigada: melhores métodos

A irrigação é um conjunto de equipamentos e técnicas que visa fornecer às culturas agrícolas a água necessária para o desenvolvimento do seu potencial produtivo. 

Existem diversos métodos de irrigação, seja para a fruticultura irrigada ou outras culturas agrícolas, e a eficiência de cada um deles depende da área de produção da lavoura.

Assim, é preciso definir o método ou sistema de irrigação conforme:

  • O tipo de cultura;
  • Características climáticas da área de produção (precipitação e evapotranspiração);
  • Textura do solo;
  • Declividade do solo; 
  • Fonte de água, que pode ser de poço artesiano, canal ou um rio.

Dentre os métodos/sistemas de irrigação mais utilizados na fruticultura irrigada estão a aspersão convencional e, principalmente, os sistemas localizados de microaspersão e gotejamento.

Esses métodos/sistemas de irrigação são predominantes, por exemplo, no Vale do São Francisco, que possui 93.900 hectares de área irrigada.

Veja como funcionam os sistemas de irrigação na fruticultura irrigada, e as vantagens e desvantagens de cada um.

O uso da aspersão convencional na fruticultura irrigada

Nesse método, o sistema simula uma chuva artificial. 

Pode ser utilizado em linhas laterais ou em malhas, com mangueiras perfuradas, carretel enrolador ou pivô central, em pequenas e grandes áreas de produção.

A vantagem é que pode ser utilizado em qualquer tipo de topografia e permite que fertilizantes e defensivos sejam aplicados por meio dele.

Como desvantagem, pode necessitar de grande quantidade de energia, sobretudo em áreas de grande produção, além de maior interferência dos ventos e da evaporação.

Os sistemas de irrigação por aspersão mecanizados (autopropelido, pivô central e de deslocamento linear) possuem como vantagem a redução de mão de obra e como desvantagem o maior custo de investimento. 

O uso da irrigação localizada na fruticultura Irrigada

Esse método é o que mais gera economia de água, pois atua de forma localizada, numa área definida, geralmente na linha de plantação.

Neste método, as mangueiras emitem pequenas gotas de água de forma suave e uniforme, ou seja, por gotejamento. Além disso, ele é bastante comum na produção de manga.

Esse método exige que a irrigação seja relativamente frequente para que a área delimitada fique úmida e a água atinja a raiz das plantas.

Além da vantagem de evitar o desperdício, esse método reduz o efeito da evaporação e dificulta a proliferação de plantas daninhas. Nesse sistema pode ser feita também a fertirrigação.

Geralmente, é utilizada uma única linha de mangueira gotejadora nesse tipo de irrigação. Mas, também, é possível utilizar linhas duplas e formar uma área úmida mais ampla.

Outras opções, com o espaçamento maior, são o zig-zag, as múltiplas saídas, o anel auxiliar, que devem ser utilizadas e adaptadas conforme as necessidades da lavoura. 

De acordo com pesquisadores, a irrigação por gotejamento na produção de manga garante uma relação de área úmida que varia de 30% a 100%.

Quanto menor o espaçamento, maior a umidade.

Áreas de produção de uva também utilizam esse sistema, pois é o mais eficiente para o controle de qualidade da produção. Isso porque, o nível de açúcar da uva tem sobre influência da quantidade de água.

O uso da irrigação por microaspersão na fruticultura irrigada

Na irrigação por microaspersão, ocorre a aplicação da água numa determinada área com a finalidade de atingir as raízes das plantas. Pode ser de forma circular ou em faixa contínua.  

As vantagens são semelhantes a da irrigação por gotejamento, mas a eficiência depende da intensidade de aplicação no raio de abrangência da água, além do número de emissores por planta e da declividade do terreno.

Fruticultura Irrigada: Veja Os Principais Sistemas De Irrigação
Ilustração dos sistemas de irrigação (Reprodução: ANA)

O uso da fertirrigação na fruticultura irrigada

A irrigação por microaspersão e a irrigação localizada por gotejamento possuem a grande vantagem de por meio delas ser feita a fertirrigação.

Essa técnica da fertirrigação permite que sejam aplicados fertilizantes por meio da água que vai para a irrigação, o que reduz custo com operações mecanizadas.

Ao introduzir o fertilizante diretamente no sistema de irrigação, aumenta-se a possibilidade de a planta absorver os nutrientes, que precisam estar em sua fase líquida (solução) para que possam atingir sua finalidade.

Na fertirrigação, a aplicação do fertilizante pode ser feita de forma fracionada, ao invés de ser utilizada toda de uma vez.

Mas é preciso também atenção ao tipo de insumo que será aplicado, pois há fertilizantes que são insolúveis ou incompatíveis para uso na fertirrigação.

Assim, antes de fazer o uso da fertirrigação é necessário consultar um especialista no assunto. 

Irrigação na fruticultura e os impactos positivos na produção

A irrigação na fruticultura é de grande importância para o Brasil, tanto para abastecer o mercado interno quanto o externo.

Além de possibilitar o aumento da produção, a irrigação colabora para que se atinja uma maior qualidade das frutas, já que muitas delas dependem da quantidade ideal de água para alcançar padrões mais elevados (teor de açúcar, calibre etc). 

Um grande exemplo disso é a produção de uva no Vale do São Francisco. Isso porque, esse tipo de cultura se desenvolveu com sucesso justamente por conta de ser possível exercer um controle maior sobre a quantidade de água ofertada para as plantas.

Ao contrário de outras regiões produtoras de uva do Sul do Brasil, geralmente mais chuvosas, a região do Vale do São Francisco é de característica de semi-árido. Porém, com abundância de água no Rio São Francisco, de onde é feita a captação de água para irrigação.

Assim, mais de 30% da produção de uva e manga do Brasil está concentrada na região do Vale do São Francisco.

Conclusão

A fruticultura irrigada é essencial para a produção de alimentos com qualidade e com menores riscos climáticos.

No entanto, os métodos e sistemas de irrigação podem variar conforme as características da área de produção e da região onde ela está localizada.

Assim, é importante avaliar qual método ou sistema vai trazer mais eficiência e proporcionar o uso racional da água.

Além disso, é essencial para o monitoramento diário usar tecnologias que possibilitam: verificar a umidade do solo; o quanto de água está sendo utilizada; e o nível de chuva que atingiu a lavoura. Pois, além de irrigar é preciso manejar essa irrigação da melhor maneira possível!

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo