ArtigosIrrigação

Evapotranspiração e sua utilização na agricultura

Entenda a importância no manejo, principais tipos e mais sobre evapotranspiração.

Por Rayssa Fernanda dos Santos

Os fatores climáticos apresentam grande importância na agricultura, por isso realizar seu monitoramento é fundamental para o sucesso da lavoura.

Entendendo sobre as condições climáticas e principalmente sobre evapotranspiração, você pode traçar estratégias de manejo e alcançar altas produtividades.

Pensando nisso, neste artigo vamos explicar sobre o que é, seus tipos existentes e como esse fator influencia no dia a dia do campo. Venha conferir!

Importância da evapotranspiração no manejo da irrigação

Atualmente a irrigação no Brasil é uma prática pouca utilizada, comparando com o total de área destinada à agricultura no país.

Do total, apenas 10% das áreas são irrigadas, o que corresponde, segundo o IBGE, a 6,7 milhões de hectares.

Área irrigada por município

Mesmo se tratando de uma pequena parcela da agricultura brasileira, o uso consciente da água para irrigação deve ser feito de modo planejado e correto, a fim de evitar desperdícios e prejuízos ao meio ambiente.

Para que isso ocorra, é fundamental que você realize constantemente monitoramento de sua lavoura. Principalmente das condições meteorológicas como: precipitação, radiação solar, vento, evapotranspiração, e outros.

É aconselhável que para o monitoramento de sua lavoura, você consulte uma estação meteorológica que tenha medidores próximos a sua fazenda, ou utilize softwares como o da Agrosmart (que fazem o monitoramento climático via satélite).

Quer adquirir uma Estação Meteorológica da Agrosmart? Clique aqui.

Assim, para que a irrigação seja efetiva, o conhecimento sobre evapotranspiração se faz necessário, pois estima a necessidade hídrica da sua cultura.

Conceitualmente, a evapotranspiração é a perda de água para a atmosfera, pela combinação da evaporação da água na superfície com a transpiração das plantas.

Evapotranspiração no ciclo da planta
Ciclo da água no sistema agrícola, com ênfase nas entradas (setas verdes) e saídas (setas vermelhas) do sistema.
(Fonte: Cecor/CATI)

A evapotranspiração é maior nas regiões de temperatura elevada, umidade relativa baixa e ventos moderados a fortes. Mas pode variar dependendo do clima na faixa de 0 a 12 mm por dia.

Essas variáveis, além de serem importantes no momento da irrigação, são fundamentais na aplicação de defensivos, como fungicidas e herbicidas.

Portanto, na agricultura, seu conhecimento é indispensável para a realização adequada das práticas de irrigação e aplicação de produtos, em todas as culturas, como soja, milho, café e cana-de-açúcar.

Tipos de evapotranspiração

A evapotranspiração (ET) é variável de acordo com fatores como:

  • A atividade vegetal (ciclo da cultura);
  • Durante o ano em função da radiação solar;
  • Temperatura e condições climáticas em geral.

Desse modo, a evapotranspiração pode ser calculada de maneiras diferentes, sendo separada em 5 tipos:

Evapotranspiração real (ETR)

É determinada como a quantidade de água transferida para a atmosfera, por evaporação e transpiração, em condições reais de fatores atmosféricos e umidade do solo.

A área considerada para estudo da ETR apresenta ampla área de bordadura para evitar a troca de calor do solo. Mantendo as condições reais de transpiração e evaporação.

Evapotranspiração real
Exemplificação da evapotranspiração real.
(Fonte: Esalq-USP)

Evapotranspiração potencial (ETp) ou de referência (ETo)

É determinada como a quantidade de água transferida para a atmosfera, por evaporação e transpiração, em condições do solo sem restrição hídrica, e com uma cultura rasteira em pleno desenvolvimento.

Assim como na evapotranspiração real (ETR), a área para estudo da ETp ou ETo tem bordadura para evitar trocas de água e calor com área em volta.

O cálculo da evapotranspiração potencial ou de referência não considera solo seco, por isso, depende apenas das variáveis meteorológicas do momento.

Evapotranspiração potencial
Exemplificação da evapotranspiração potencial ou de referência.
(Fonte: Esalq-USP)

Evapotranspiração de oásis (ETO)

É determinada pela evapotranspiração de uma área vegetada e irrigada, circundada por uma área seca, ou seja, sem a presença de área de bordadura.

Desse modo, a ETO tem a troca de calor pelas condições meteorológicas e pela transmissão de calor e perda de água para a área que a envolve.

Evapotranspiração da cultura (ETc)

A evapotranspiração da cultura considera uma cultura sadia, a fase de desenvolvimento que se encontra e sem falta de água.

Assim, para determinar a ETc há presença de bordadura para evitar troca de calor e água com a área ao redor.

O cálculo da ETc é dependente das condições meteorológicas, do tipo de cultura e da sua fase de desenvolvimento, ao qual considera a área foliar, que está diretamente relacionada com a transpiração da planta.

Exemplificação da evapotranspiração da cultura.
(Fonte: Esalq-USP)

Evapotranspiração da real da cultura (ETr)

A evapotranspiração real da cultura difere da ETc apenas por não apresentar bordadura. Considera as condições reais da cultura, com ou sem a presença de água.

Exemplificação da evapotranspiração real da cultura.
(Fonte: Esalq-USP)

Para o cálculo de cada evapotranspiração, é necessário ter um coeficiente específico. Assim tem-se o valor de evapotranspiração que é considerado nos cálculos para manejo da irrigação.

Resumidamente os tipos de evapotranspiração e seus fatores determinantes são apresentados abaixo:

(Fonte: adaptado de Yamada – Esalq)

Dados importantes para bom manejo da irrigação e de aplicação

Para ter o manejo racional dos recursos hídricos é necessário monitoramento constante da lavoura. Por isso, uma estação meteorológica é fundamental no fornecimento de dados necessários e confiáveis, como temperatura, precipitação, velocidade e direção do vento, evapotranspiração, umidade relativa do ar, Delta T, entre outros.

O Delta T é a relação entre a temperatura de bulbo úmido e seco, que é relacionado com a taxa de evaporação. É um dado que pode ser relacionado principalmente com aplicação de defensivos.

O Delta T é medido em escala de 2 a 20, em relação a umidade relativa e temperatura seca.

Quanto melhores as condições no gráfico do Delta T melhor será o aproveitamento das gotas para absorção, pois mais lento será o processo de evaporação das gotas.

Portanto, saber esses dados é importante para a alocar a irrigação e aplicação de defensivos no momento apropriado, resultando no manejo adequado, maior eficiência e economia.

Conclusão

Nesse artigo foi abordado sobre a importância do conhecimento sobre evapotranspiração. Como a evapotranspiração está relacionada com boas práticas de manejo, na irrigação e aplicação de defensivos.

Vimos também que monitorar sempre a cultura é fundamental para evitar perdas em sua lavoura. E que existem vários dados que são fundamentais para determinação do momento adequado para realizar algumas práticas de manejo da cultura.

Você já conhecia a importância da evapotranspiração?  Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

Elaboração do artigo: Rayssa Fernanda dos Santos

Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), mestre em Fitotecnia pela ESALQ/USP. Especialista em Marketing pela mesma instituição. Atualmente, doutoranda em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), com ênfase em produção vegetal.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo