Clima e TempoIrrigação

Irrigação: uma maneira de sobreviver aos períodos de seca

O que é um período de seca?

Além dos desafios diários nas lavouras, os produtores rurais enfrentam  dificuldades vindas de causas naturais do meio ambiente, como a seca. Esse tipo de fenômeno afeta diretamente na vida desses produtores, como a ocorrência de seca ou veranicos na região do Rio Grande do Sul, perda de grande quantidade de gados para os pecuaristas da Bahia e uma redução relativa das lavouras de café, devido ao baixo desenvolvimentos dos grãos.

Apesar da seca ser conhecida, principalmente no nordeste, devido a pouca presença de umidade, ela tem atingido lugares que até então não tinham passado por um tempo tão longo com baixo índices de chuvas. Isso tem gerado diversos impactos para a agricultura e pecuária dessas regiões, o que dificulta a busca por soluções que amenizem esses efeitos.

De um modo geral, podemos dizer que existe um período de seca quando o transporte da água do solo para o ar através das plantas (evapotranspiração) ultrapassa, por algum tempo as chuvas. Esse tipo de evento traz efeitos negativos em nível local e regional, podendo consequentemente, aumentar o desenvolvimento e propagação de pragas e doenças.

Quais são os efeitos da seca para a agricultura?

A seca é um fenômeno caracterizado, muitas vezes, pela ausência, quantidade limitada e má distribuição das precipitações pluviométricas e por isso acaba acarretando algumas consequências para a agricultura, tais como:

 

  • Diminui o rendimento das plantações e cultivos;

 

A falta de chuva implica em um menor abastecimento de água nas lavouras, elemento essencial para o seu desenvolvimento. Isso afeta diretamente o rendimento das plantações podendo levar a uma perda das colheitas.

 

  • Reduz as reservas de alimentos e aumenta os preços dos produtos agrícolas;

 

A seca afeta diretamente no rendimento das lavouras, fazendo com que seja produzido uma menor quantidade de alimentos e, consequentemente, diminuindo as suas reservas. Além disso, a crescente demanda por alimentos e a menor disponibilidade, fazem com que os preços desses produtos agrícolas aumentem e não sejam tão acessíveis.

 

  • Baixo nível de irrigação;

 

Ter um manejo adequado da irrigação é um elemento essencial para complementar a disponibilidade de água proveniente da chuva, gerando ao solo quantidade suficiente de umidade para suprir as necessidades hídricas da cultura. Dessa forma, um nível de irrigação abaixo do normal afeta diretamente a produtividade das plantações.

Qual a importância da irrigação em períodos de seca?

Ter um manejo adequado do solo é essencial para o desenvolvimento das lavouras e envolve, principalmente, técnicas corretas de irrigação. Ela é responsável por complementar a disponibilidade da água provida pela chuva, o que proporciona ao solo um teor de umidade suficiente para suprir as necessidades hídricas das culturas, e também melhora significativamente os resultados da produção.

As características das chuvas em determinadas regiões como intensidade, duração e frequência, são pontos indispensáveis para o posicionamento das estruturas de captação e armazenamento da água, assim como as propriedades do solo e a declividade do terreno. Por isso, ter técnicas que consigam extrair uma quantidade suficiente de água para irrigação garante ao agricultor que, mesmo em períodos de secas, as produções não sejam prejudicadas.

Dessa forma, é primordial adotar um melhor modelo de gestão de água e buscar por informações nos conhecimentos técnicos, para que assim seja possível garantir o suprimento de água para todas as culturas e controlar a perda de solo em áreas agricultáveis.

Mostrar mais

Thiago Fantim

Sou especialista em marketing digital, área que atuo há vários anos. Já tive a oportunidade de trabalhar em diversos setores que compõem essa área: agência de marketing digital, loja virtual varejista e plataformas SaaS.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo