IrrigaçãoTecnologia

Estresse hídrico ajuda na produção de citrus

Estresse hídrico

Manutenção de água no solo

A irrigação, alternada com estresse hídrico nos momentos corretos, pode ser de grande auxílio para aumento da uniformidade da produção. Entretanto, é preciso entender como esse fenômeno ocorre e seus efeitos.

O produtor sempre tem o desejo de aumentar o controle da produção, com a intenção de aumentar a produtividade e qualidade, além de ter uniformidade. Com isso em mente, o agricultor pode utilizar seus recursos e o conhecimento da planta para influenciar nos resultados do campo.

Portanto, para que a planta tenha pleno desenvolvimento, muitas vezes é preciso uma espécie de mau trato. Com a privação de algo essencial, o vegetal passa a produzir hormônios em reação ao que é entendido como uma situação de perigo, esse mecanismo é vital para a sobrevivência da espécie e pode ser percebido praticamente em todas as formas de vida.

Chão seco com planta

No caso das orquídeas, por exemplo, a ausência de água passa a mensagem de um período perigoso para a planta, onde é possível que ela não sobreviva. Dessa forma, sua reação natural é tentar se reproduzir, de forma que concentra seus esforços nessa missão, com a intenção de garantir a perpetuidade da espécie.

Com isso as flores das orquídeas, que são seu mecanismo de atração para reprodução, recebem toda atenção possível do metabolismo, tornando-as mais e mais atrativas. É dessa forma que o estresse hídrico controlado, pode causar a floração e também ajudá-la a permanecer vibrante por mais tempo.

Desenvolvimento vegetativo e períodos de estresse hídrico

Ao longo do processo evolutivo, algumas plantas desenvolveram formas de se protegerem de períodos que correm algum tipo de perigo, especialmente contra fenômenos naturais, chuvas excessivas, períodos de estresse hídrico, dentre outros tipos de ameaças.

A principal mudança é a adaptação a momentos em que a oferta dos fatores essenciais para a produção vegetal é insuficiente. Dentre esses, destaca-se a importância dos períodos de estresse por água insuficiente.

Para entender como a disponibilidade hídrica pode impactar a produção, veja: Entenda a disponibilidade hídrica e a evapotranspiração no Brasil

O caso do Citrus

No cultivo de citrus, utiliza-se esse mesmo princípio. A florada pode ser programada pela influência dos períodos de estiagem, momento em que as árvores estarão passando por um momento de baixa oferta de água no solo.

Com isso, a planta tem um dos fatores essenciais para seu desenvolvimento rareado, potencializando o desenvolvimento dos frutos, uma vez que a planta entende que deve reagir para sobreviver.

Limão Siciliano

Estresse hídrico no citrus

Dentre os fatores que são primários para o desenvolvimento vegetativo, são destaques:

  1. Temperatura;
  2. Umidade;
  3. Nutrição.

Quando os três itens têm perfeita harmonia, a gema da árvore produz novos ramos. No entanto, se algum deles for privado, a gema produz flores e assim influencia-se a florada e, por sua vez, a quantidade de frutos.

A temperatura é uma variável que não pode ser controlada, quando consideramos o cultivo aberto. Portanto, esse é um fator que não pode ser alterado. Além disso, nem todas as plantas têm reações de aumento de produtividade em função da temperatura.

Tangerinas

Para a nutrição, entretanto, não é costumeiro se causar escassez. Isso pois pode ocasionar queda de qualidade e quantidade. Além disso, forçar uma nutrição deficitária pode inibir alguns processos metabólicos que prejudicam o desenvolvimento vegetativo geral.

A solução é, portanto, fazer o controle do estresse hídrico, que é a ausência programada e controlada de água no solo, a fim de ativar esse comportamento desejável na planta. Com isso, a produção se torna mais homogênea, uma vez que toda a lavoura passa por esse período ao mesmo tempo, ou pelo menos em uma janela de tempo bastante pequena.

Choque hídrico

Os produtores irrigantes podem então fazer o manejo da irrigação. Com esse controle é possível coordenar a estiagem a uma janela na irrigação. Isto é, realiza-se uma pausa na irrigação por um período entre 45 e 60 dias.

Limões

Prioriza-se os períodos desde o final de junho, até fim de julho, período de estiagem. Quando tipicamente se tem menor intensidade de chuvas, em grande parte do território nacional.

Seguindo esse cronograma, há uma retomada da irrigação em agosto. Com um choque de oferecimento de água,  o desenvolvimento dos frutos ocorre de forma ideal. Além de não ocorrer a privação de nenhum dos fatores essenciais.

Para entender melhor o uso da água na agricultura acesse nosso material: Fatos sobre uso da água na agricultura

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo