Artigos

Como o clima impacta na citricultura?

Assim como no caso de qualquer outra cultura, o clima impacta nas características e no desenvolvimento da citricultura. A produção de citros está espalhada em diferentes regiões do mundo por conta da capacidade de adaptação das plantas cítricas à diferentes condições climáticas. Desde o clima subtropical até o equatorial, em regiões úmidas ou até em regiões mais secas, sempre haverá um produtor desenvolvendo citros.

Mas para que as plantas forneçam bons frutos ao longo dos anos em todas essas localidades, o conhecimento sobre a influência dos fatores climáticos na cultura é indispensável. Para ajuda-lo a entender melhor as etapas e as necessidades dos citros durante as safras, preparamos esse artigo.

impacto do clima na citricultura

Potencial produtivo das plantas cítricas

O potencial produtivo de uma planta cítrica vai depender, em grande parte, da combinação entre a copa e o porta-enxerto que estão sendo utilizados. Além disso, outros fatores podem limitar a produção máxima das plantas. São eles:

  • características físico-químicas do solo;
  • nutrição das plantas;
  • densidade populacional do pomar, 
  • práticas de manejo;
  • condições climáticas ao longo do ciclo produtivo.

Os citros se desenvolvem melhor em regiões onde o clima é mais ameno, os solos são férteis e, principalmente, onde haja um acumulado de chuvas de 1.200 mm durante o ano. A temperatura ideal para a produção de citros é de no máximo 25°C e no mínimo 10°C, com invernos frios e secos e primaveras chuvosas.

Temperatura ideal é aquela onde a planta tem potencial para atingir seu máximo produtivo. É claro que há produção de citros em locais onde as temperaturas não estão dentro dessa faixa.

Influências do clima na citricultura

Os citros são plantas perenes, ficam por muito tempo no campo expostos as mais diferentes condições climáticas. Toda essa mudança, de um ano para outro, faz com que as plantas também mudem seu comportamento.

O ciclo de produção de uma planta cítrica pode variar de seis a 16 meses. Desde quando as flores começam a surgir nas plantas, até a colheita dos frutos.

O ciclo de produção dos citros passa por diferentes etapas, essas etapas são chamadas de fenologia. A fenologia estuda a relação do ciclo de produção com as variações do ambiente. Ter conhecimento dessas relações ajuda no melhor planejamento da safra e na implantação da citricultura.

As etapas mais importantes sobre a fenologia dos citros são: 

  • indução floral;
  • repouso vegetativo;
  • florescimento;
  • pegamento dos frutos;
  • maturação;
  • ponto de colheita

A citricultura, assim como qualquer outra planta cultivada, é bastante afetada pelo clima durante seu ciclo produtivo

Indução floral

A indução das flores nas plantas de citros se inicia quando as temperaturas começam a cair, e ocorre a diminuição das chuvas. No estado de São Paulo, por exemplo, esse processo se inicia por volta de abril, maio e junho.

Nessa etapa, algumas estruturas da planta, chamadas de gemas, se transformam de gemas vegetativas para gemas reprodutivas. Essa indução ocorre quando as temperaturas ficam inferiores a 25 °C por várias semanas, acompanhadas por um período de estiagem maior que 30 dias.

impacto do clima na citricultura

Quanto maior o período e a severidade do estresse ambiental, maior será a indução floral. Há também outros períodos em que as plantas cítricas apresentam floração. Nesse período, a florada pode ter sido induzida por fatores da fisiologia da planta.

Repouso vegetativo

O repouso vegetativo ocorre quando as plantas diminuem seu crescimento ou até mesmo param de crescer. Esse repouso só acontece em regiões de clima tropical com estação seca, e subtropical, com inverno relativamente rigoroso. Esse repouso pode ser responsável pela concentração da produção em um determinado período.

Em regiões onde não ocorrem os períodos de estresse de temperatura ou de água, o florescimento e a produção da planta se estendem ao longo do ano. Isso faz com que a produção seja menos intensa durante a safra.

Florescimento

Essa etapa, que chamamos de florescimento, compreende o momento em que as flores se abrem (antese). Essa abertura das flores ocorre quando há condições favoráveis de temperatura e umidade.

Nas regiões de clima tropical, o florescimento sempre ocorre após o período de volta das chuvas. Nas regiões subtropicais, esse florescimento é mais intenso durante o final do inverno e início da primavera. Em climas mais secos, o florescimento acontece somente quando há um período de estresse hídrico – em áreas irrigadas.

As plantas cítricas podem produzir de 100 mil a 200 mil flores. Mas de todo esse total, apenas de 15 a 20% permanecem nas plantas e somente de 0,1 a 6% do total, vão virar frutos maduros.

Pegamento dos frutos

A queda dos frutos nos primeiros meses, depois da polinização, acontece por diferentes fatores. Pode ocorrer por defeito na formação dos frutos, por alguma doença, mas principalmente pelo efeito de altas temperaturas. 

Temperaturas acima de 35 °C, baixa umidade do ar e ventos intensos, causam uma grande derrubada dos frutinhos em formação.

A queda dos frutos de 0,5 a 2 cm de diâmetro é mais acentuada no final da primavera e início do verão. Porém, o maior índice de queda de frutos ocorre nos meses de novembro e dezembro, no hemisfério sul, e entre os meses de maio e junho no hemisfério norte, diminuindo somente após esse período.

Maturação

O processo de crescimento e maturação dos frutos que ficaram na planta ocorre em quatro fases principais:

  • 1ª fase – divisão celular, que varia de um a um mês e meio. 
  • 2ª fase – diferenciação celular. 
  • 3ª fase – expansão celular, momento em que os frutos vão atingir seu tamanho final. A duração dessa fase vai depender muito da variedade e das condições climáticas do local.
  • 4ª fase – maturação dos frutos. 

Na maturação os frutos praticamente já alcançaram seu tamanho final. Nessa etapa, os açúcares dos frutos atingem seu ponto ideal e a acidez diminui. A temperatura da região é a principal fator para que isso ocorra.

Em regiões mais quentes os frutos ficam menos tempo nas plantas.

O tempo entre o florescimento e a maturação pode variar de seis a sete meses na variedade Valência, por exemplo. Para essa mesma variedade, quando plantada em regiões de clima mais frio, esse período pode durar de 14 a 16 meses. 

Ponto de colheita

A colheita dos citros vai ocorrer quando os frutos apresentarem bons níveis de açúcares e acidez. A temperatura, que normalmente é medida em graus-dias é a principal variável que influencia a qualidade dos frutos. 

Temperaturas muito altas podem causar danos nos frutos, principalmente em regiões onde as temperaturas podem atingir mais de 40 °C. O impacto da alta temperatura pode afetar até a polpa dos frutos, causando a desidratação.

A falta de chuvas durante o desenvolvimento dos frutos e a maturação também podem causar frutos secos, com menor quantidade de suco.

A temperatura do ar é outro fator que influencia na qualidade dos frutos, impactando na coloração da casca, o que é muito negativo para os frutos comercializados in natura, por exemplo

Você sabia? O tamanho e o sabor da fruta estão associados às temperaturas noturnas durante a maturação.

impacto do clima na citricultura

Fatores limitantes na produção dos citros

Existem também fatores capazes de reduzir drasticamente a produtividade dos citros. Entre eles estão as geadas e o vento.

Geadas

As geadas representam grandes problemas na produção dos citros. Os danos são diferentes dependendo da espécie e da combinação entre copa e porta enxerto. O porta-enxerto pode influenciar na maior ou menor tolerância à geada.

As geadas tardias, que surgem no final do inverno e no início da primavera, coincidindo com o florescimento e com a formação inicial dos frutos, são as que mais causam danos.

Vento

Os ventos causam danos nas plantas cítricas não apenas pela sua velocidade, mas também pela sua temperatura e umidade.

  • Ventos quentes e secos: causam o aumento da transpiração das plantas e a queda das folhas e frutos;
  • Ventos contínuos de velocidade moderada: provocam deformação das plantas em pomares jovens e alteram a qualidade dos frutos;
  • Ventos frios: podem reduzir o crescimento das plantas e frutos a longo prazo, e até causar a morte de plantas jovens em geadas intensas;

A adoção de quebra-ventos no entorno dos pomares é a única alternativa para minimizar os efeitos prejudiciais dos ventos.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo