Clima, Irrigação

Estação meteorológica: como funciona e sua importância na agricultura

A estação meteorológica é uma ferramenta fundamental para monitorar as condições meteorológicas na lavoura e assim ajudar agricultores a tomarem decisões. Neste post, esclarecemos os principais aspectos relacionados à estes equipamentos para auxiliar quem está buscando entender melhor sobre o funcionamento e uso na agricultura.

A observação meteorológica de superfície, realizada nas estações meteorológicas, consiste da coleta diária de dados referentes as diversas variáveis atmosféricas, que caracterizam o estado da atmosfera, ou seja, o tempo.

Para uma coleta de dados de precisão é necessário seguir algumas normas com relação à localização, tipo e instalação dos equipamentos, e padronização dos horários de observação e dos procedimentos operacionais, como calibração e aferição dos instrumentos de medição.

O que é uma estação meteorológica?

Uma estação meteorológica é um conjunto de instrumentos ou sensores que recolhem dados para análise do tempo meteorológico. Esses instrumentos/sensores são capazes de registrar a temperatura do ar, velocidade e direção do vento, umidade do ar, radiação solar, chuva, pressão atmosférica entre outras variáveis.

Existem dois tipos de estação meteorológica, as automáticas e as convencionais.

  • Estações automáticas: coleta de dados totalmente automatizada. Nesse tipo de estação os sensores emitem sinais elétricos, que são captados por um sistema de aquisição de dados (Datalogger), possibilitando que o armazenamento e o processamento dos dados sejam informatizados.
Estação meteorológica automática Agrosmart

Estação meteorológica automática (Agrosmart)

 

  • Estações convencionais: exigem a presença diária de uma pessoa para coletar os dados medidos. Os instrumentos que compõe esse tipo de estação são normalmente de leitura direta, como os termômetros, ou com sistema mecânico de registro, como o termohigrógrafo, o pluviógrafo, o anemógrafo. Elas se dividem em classes de acordo com a finalidade e o número de variáveis observadas.

Primeira classe: são aquelas que medem todos os elementos meteorológicos.

 Segunda classe: não realizam as medidas de pressão atmosférica, radiação solar e vento.

 Terceira classe: medem apenas a temperatura máxima, mínima e a chuva.

Estação meteorológica convencional

Estação meteorológica convencional

 

Requisitos para a instalação de uma estação meteorológica

Para instalar uma estação meteorológica em um local adequado, afim de evitar interferências no registro de dados precisos, é necessário atender algumas exigências:

  • Local plano para evitar o acúmulo de água e longe de instalações elétricas;
  • Horizontes amplos, sem barreiras que impeçam a radiação solar ou mudem as características do vento. Para isso a distância recomendada entre a estação e o obstáculo é de pelo menos 10 vezes a altura deste;
  • Distantes de cursos d’água, lagos e banhados, evitando distúrbios na medição da umidade relativa do ar;
  • Solo gramado ou com vegetação rasteira para minimizar a influência dos diferentes tipos de textura de solo.

 

Sensores das estações meteorológicas automáticas

Devido a sua maior praticidade, atualmente a estação meteorológica automática é a mais utilizada, além disso, com esse tipo de estação também é possível verificar pela internet os dados em tempo real. As estações automáticas possuem 4 sensores essenciais: o anemômetro, piranômetro, o sensor de temperatura e umidade e o pluviômetro.

Anemômetro: é um instrumento que mede a velocidade e a direção do vento. Esse instrumento deve ser instalado a 2 metros de altura em relação ao solo.

Piranômetro: registra a radiação solar global e deve ser instalado entre 1,5 e 2 metros de altura.

Sensor de temperatura e umidade: geralmente são termistores que medem a temperatura e a umidade do ar. Esse sensor deve ficar no abrigo meteorológico para não ser danificado e a altura de sua instalação é aproximadamente 1,5 metros.

Pluviômetro: mede a precipitação e o tipo de pluviômetro mais utilizado é o de báscula. A área de captação de água (bocal) do pluviômetro deve ficar a 1,5 metros do solo.

Sensores de uma estação meteorológica

Sensores de uma estação meteorológica

Rede de estações meteorológicas no Brasil

O Brasil ainda não apresente uma rede de estações meteorológicas suficientemente grande para atender as necessidades em todo o país. A concentração de pontos de observação meteorológica estão nas áreas mais desenvolvidas e pouquíssimo nas áreas remotas, como no estado do Amazonas, mas devido à crescente importância dada aos impactos no meio ambiente o número de estações meteorológicas vem aumentando.

Atualmente, o Brasil conta com diversas redes de estações meteorológica, sendo a mais importante a coordenada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). O instituto possui uma rede de 500 estação automáticas e de 258 estações convencionais espalhadas pelo país.

Outra rede de estações, não menos importante, é a sistematizada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que possui várias estações meteorológicas pelo país. Os dados meteorológicos históricos podem ser acessados pela plataforma de Sistema Integrado de Dados Ambientais (SINDA).

Também há redes coordenadas por instituições estaduais como o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) juntamente com o Sistema Meteorológico do Paraná (SIMEPAR), ambos com mais de 30 estações espalhadas nos estados de São Paulo e Paraná; o Centro Integrado de Meteorologia e Recursos Hídricos de Santa Catarina (CLIMERH), entre outras. Algumas empresas também coordenam rede de estações meteorológicas como Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e também empresas privadas.

E por que estações meteorológicas são importantes na minha fazenda?

Reforçando o que foi dito no post “8 motivos para você tornar a sua irrigação inteligente” as variáveis atmosféricas medidas nessas estações meteorológicas influenciam diretamente na produtividade da sua plantação. Também com as estações meteorológicas é possível mensurar diversos fatores que influenciam no gerenciamento das atividades na fazenda; como a direção predominante dos ventos, a precipitação acumulada na safra, a temperatura média em um período, entre outros.

Estação meteorológica

Dessa forma, monitorar essas variáveis é de suma importância para uma melhor tomada de decisão no campo e o registro a longo prazo dessas variáveis fornece suporte para um planejamento agrícola mais eficaz.

Além disso, com a estação meteorológica é possível fazer o manejo de irrigação, pois através dos dados registrados na estação é possível quantificar as principais formas de entrada e saída de água para a planta. A precipitação atua como suprimento de água para as plantações e a evapotranspiração atua como perda de água pela plantação, veja mais em “Entenda a disponibilidade hídrica e a evapotranspiração no Brasil”.

Por esses motivos as informações geradas pelas estações meteorológicas tornam-se fundamentais para o sucesso agrícola.

 

Redação: Diego Santos e Amanda Balbino




Fale Conosco (Whatsapp)