Ícone do site Agrosmart-Blog

A importância do Seguro Rural para lidar com riscos na agricultura

seguro rural

Contratar uma apólice de seguro rural é uma das principais formas de mitigar os riscos na agricultura, sobretudo relacionados aos eventos climáticos adversos

O agronegócio tem sido atingido por secas, geadas, incêndios e excesso de chuvas, intercorrências que são atribuídas por cientistas às mudanças climáticas.

Mas não só as adversidades climáticas geram risco à atividade agrícola: a incidência de pragas e doenças e as oscilações do mercado influenciam diretamente no trabalho rural. 

Devido a esses riscos, o seguro rural é fundamental para garantir maior proteção à lavoura e aos envolvidos na cadeia agrícola.

Além disso, o seguro rural pode contribuir para a estabilidade na renda e a saúde dos negócios.

Seguro Rural e a mitigação de riscos na agricultura 

Uma das mais importantes políticas públicas do Governo Federal para o setor agrícola, o seguro rural tem ganhado cada vez mais evidência no país.

Isso porque, nos últimos anos, com destaque para 2021, ocorreram eventos climáticos com graves impactos em diversas culturas, sobretudo milho, café e cana-de-açúcar.

Além disso, esses riscos já presentes na agricultura estão sendo intensificados pelas mudanças climáticas. E, por isso, viraram alvo de preocupação não só do agronegócio, como também do mercado financeiro global, conforme aponta a segunda edição da Carta Propague

“O mercado de seguros é um exemplo de desdobramentos e vulnerabilidade da economia. As perdas relacionadas ao clima se quintuplicaram: a média nos anos 1980 girava em torno de US$ 10 bilhões por ano frente aos US$ 50 bilhões atuais”.  

Carta Propague

De acordo com o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), entre janeiro de 2019 e novembro de 2021 as seguradoras pagaram R$ 9,5 bilhões em indenizações, o que evitou que milhares de produtores renegociassem suas dívidas.

E esse cenário pode se repetir pois, desde o final de 2021 e início de 2022, tem havido estiagem em algumas regiões e excesso de chuvas em outras, prejudicando a produção agrícola da safra de verão.

Assim, de acordo com o Mapa, na atual safra de verão já foram acionadas 42.541 apólices de seguro rural e 38.906 comunicados de perdas no Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária).

Diante disso, fica muito clara a importância do seguro rural – cujo o orçamento disponibilizado pelo Governo Federal para o seu subsídio vem crescendo ano a ano, conforme podemos ver abaixo.

Tabela com valores do seguro rural nos últimos anos e na parcial de 2022 (Fonte: Mapa)

Neste ano, com a ampliação da Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, o Governo Federal pretende contratar 158.500 apólices e, com isso, proteger 10,7 milhões de hectares. Assim, a expectativa é de que o valor total segurado chegue a R$ 55,4 bilhões.

Conheça as novas regras para contratação do Seguro Rural

Além do aumento do orçamento da subvenção ao seguro rural – ou seja, do pagamento pelo Mapa de parte do prêmio do seguro rural devido pelo produtor – há novidades também nas regras para contratação. Por isso, fique atento às novidades abaixo.

No Brasil, as regras do seguro rural estão na Lei 10.823, que cria o PSR (Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural) e o PTSR (Plano Trienal do Seguro Rural).

Mas essas regras sempre foram alvo de críticas por parte de produtores rurais, para muitos dos quais há um excesso de burocracia que mais complica que o auxilia.

Por isso, o governo simplificou as regras do PTSR válidas para o triênio 2022-2024.

Nas regras de 2021, os percentuais de subvenção ao prêmio eram de 20%, 25%, 30%, 35% e de 40%. Agora, dependendo da modalidade, cultura e cobertura pode ser de 20% ou 40%

Veja abaixo o quadro comparativo entre o PSR de 2021 e o PTSR:

Simplificação atende a reivindicação dos produtores rurais (Fonte: Mapa) 

Importante destacar que para contratar um seguro você precisa saber quais são os tipos:

Descubra quais seguradoras que operam com Seguro Rural

O mercado de seguro rural no Brasil é restrito às 15 operadoras que estão habilitadas pelo Mapa no Programa de Subvenção. São mais de 60 culturas atendidas.

Veja abaixo cada uma delas (por ordem alfabética) e com que atuam:

  1. Aliança do Brasil: seguro de custeio;
  2. BrasilSeg: faturamento agrícolas, pecuário, floresta e agrícola.
  3. Companhia de Seguros Aliança do Brasil: seguro de custeio, faturamento e florestas;
  4. Allianz: custeio e multirrisco; produtividade e multirrisco; granizo e florestas;
  5. Essor: granizo (grãos, frutas e hortaliças), multirrisco, faturamento e custeio;
  6. Excelsior: seguro de produtividade da soja e granizo;
  7. Fairfax: seguro pecuário, aquícola, de floresta, de produtividade, de riscos e de receita;
  8. Mapfre: granizo, pecuária, olericultura, café, de colheita, custeio, floresta e faturamento;
  9. Markel: multirrisco para custeio e produtividade;
  10. Porto Seguro: seguro agrícola de produtividade;
  11. Sancor Seguros: granizo, frutas, hortaliças, multirriscos e cana-de-açúcar;
  12. Sompo Seguros: multirrisco para custeio, para produtividade e paramétrico;
  13. Swiss RE: granizo e geada, incêndio, multirisco, faturamento e pecuário;
  14. Tokio Marine: multirrisco produtividade, custeio e de riscos;
  15. Too Seguros: multirrisco de produtividade e custeio, além do paramétrico;

Saiba mais sobre as condições gerais com que cada uma atua no site do Mapa.

Como contratar um Seguro Rural?

A contratação do seguro rural se dá por meio de algumas das seguradoras listadas acima. A apólice pode ser contratada por pessoa física ou jurídica que cultive espécies contempladas pelo PSR. Para isso é preciso:

  1. Procurar uma seguradora e formalizar uma proposta, que será apresentada pela empresas de seguros ao Mapa.
  2. Se a proposta for aprovada, o Mapa (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) para o percentual para a seguradora.
  3. Mas, para a aprovação da proposta, é preciso estar regular junto ao Cadin (Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal).

O prazo para o recebimento da indenização é de no máximo em 30 dias, a partir do cumprimento das exigências.

É recomendável que você baixe o aplicativo do PSR, disponibilizado pelo Governo Federal nas versões para Android ou iOS.

O aplicativo tem várias funcionalidades e possibilita fazer simulações de indenizações, mas não serve como meio de negociação ou contratação.

Além disso, é essencial que você tenha o Zarc (Zoneamento Agrícola de Risco Climático), instrumento científico obrigatório para conseguir acessar o seguro rural e que foi desenvolvido pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

O Zarc tem informações importantes que reduzem os riscos climáticos da agricultura, tais como tipos de solo, janelas de plantio, pluviosidade e épocas de semeadura, separadas por cultura e município.

Conclusão  

Uma gestão da fazenda para ser eficiente deve levar em conta a contratação de um seguro rural, ferramenta que se tornou essencial, diante das adversidades climáticas.

A simplificação das regras do seguro rural, conforme mostram os números, parecem ter surtido efeito no aumento das contratações do seguro.

Por isso é importante que você verifique, com auxílio de um especialista, quais são as possibilidades da contratação de uma apólice para sua fazenda. 

E, por fim, falando em clima e condições meteorológicas, se quiser conhecer a melhor forma de monitorar o tempo na sua lavoura ou pomar, conheça as soluções da Agrosmart.

Previsão do Tempo com a Agrosmart
Sair da versão mobile